quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Feliz Natal !



Feliz Natal e Ano Novo para todos !!!

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

"Caveirãozinho"



Carrinho de brinquedo do Caveirão do BOPE!

Esse Natal Papai Noel vem de roupa preta, de Caveira!

O brinquedo mais vendido do Dia das Crianças também está bombando no Natal! Eu particularmente não tenho nada contra o brinquedo, afinal, estamos falando de nossa polícia à quem deveríamos ter como nossos heróis, oras! Os americanos e europeus fazem isso à séculos e nós achamos o máximo, crescemos comprando essas idéias, então, por que não podemos ter os nossos representantes policiais e militares em brinquedos? Ainda mais em uma fase de atuação militar em que a população concorda com as ações policiais? Na minha opinião, seria censurar a criação e a idéia do criador e fabricante (nacional, por sinal). Se vender bem nesse ano, foi porque teve uma grande idéia afinal!
Como educador, consigo distinguir as coisas. Tempo de censuras e ditadura militar, que eu saiba, já passou. Quem não concordar com o que está acontecendo, com argumentos também interessantes sobre a violência decodificada para as crianças, me desculpe, mas acho que não está concordando não é com o brinquedo mas com a ordem atual do mundo e do capitalismo. Essa, é uma outra discussão e acho que não merece nem o brinquedo e nem o seu criador serem vítimas dela. Seria injusto, eles legalmente não fizeram nada de errado, ao contrário, responderam a uma necessidade e demanda do mercado (tudo, até agora, dentro de nossa lógica).
Não acho esse tipo de brinquedo politicamente incorreto ou subversivo, pirata ou pejorativo. Falar de guerra e violência, por mais que seja criticado, bem ou mal, são assuntos que fazem parte de nossa vidas, e no caso, de nossa polícia. Se pensarmos assim, o jogo de Xadrez ou outros jogos de estilo estratégia como o Risk, Gamão, RPG, etc, também são incorretos, pois afinal, todos são de "guerra", "violentos", "deseducadores"... Não é bem assim, não?

Minha opinião...

O fabricante já prometeu mais lançamentos para ano que vem como o boneco dos caveiras, helicopteros e etc. Aqui embaixo a reportagem do Globo quando do lançamento do produto no mercado no Dia da Criança:



07/10/2010 08h00 - Atualizado em 07/10/2010 11h56
Dia das Crianças tem 'caveirão' de brinquedo no Rio
Brinquedo possui adesivos estilizados parecidos com símbolo do Bope.
Bonecos de policiais armados vêm junto com o carro.

Em uma loja de departamentos de Bangu, na Zona Oeste do Rio, o locutor anuncia repetidamente um brinquedo um tanto diferente. O que era o símbolo da ocupação policial nas favelas agora é uma miniatura. O carro blindado do Bope, conhecido como caveirão, virou brincadeira de criança.

Com direito a seteiras espalhadas no veículo (pequena abertura que evita que os policiais fiquem com o cano das armas para fora), portas que podem ser abertas, bonecos de policiais armados com réplicas de fuzil e adesivos com uma caveira estilizada, o brinquedo tem o nome de ROTB, uma sigla para Roma Tático Blindado. A miniatura tem tido bastante procura. Pelo menos é o que garante Valtency Martins, chefe de departamentos da loja.

“Por dia estamos vendendo de 10 a 12 unidades e muita gente liga e pergunta sobre o caveirão. E isso sem propaganda. As pessoas vêem e querem comprar”, contou Valtency.

Para aumentar ainda mais as vendas, o gerente da loja de departamentos, Cosme da Silva, pretende vincular o brinquedo ao filme Tropa de Elite 2, longa que estreia este mês nos cinemas.

“Temos pedido para o locutor citar o filme. Ainda mais agora que vai estrear. Tenho certeza que a demanda irá aumentar ainda mais depois que o Bope voltar a ficar em evidência”, disse o gerente.

Fonte:http://g1.globo.com/

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Milo Manara no Brasil



Milo Manara no Brasil

Com todo esse agitado final de ano eu quase não tive tempo de comentar a Rio Comicon 2010, que aconteceu em novembro, e a presença do desenhista italiano Milo Manara aqui no Brasil! Bom, sobre o evento, muito já foi falado e não vem ao caso voltar a comentar sobre, porém, meu encontro com Manara eu preciso destacar. Além de um grande fã de suas mulheres, estilo e como artista, não poderia deixar de ir ver e conhecer Manara! Foi fantástico como ele lidou com as pessoas e o carinho que lhe renderam. Não sabia que Manara tinha tantos fãs assim aqui no Brasil.

Após um bom tempo esperando, nosso encontro foi breve mas intenso. Meu italiano não é lá essas coisas mas acredito que deu para ele me entender. Ele sorriu quando leu meu nome e fez um gesto de certeza e lógica. Até agora, fico pensando se ele não me confundiu como um italiano perdido aqui no Brasil (irônico)... não, talvez não... eu também falei em bom português. O fato é que depois de pedir para ele desenhar o Papa Rodrigo Borgia (ao que eu respeitosamente aceitei sua recusa), uma confusão inicial de comunicação (seu intérprete pensou que meu nome fosse "Borgia", o que fez com que Manara achasse graça de tudo aquilo!) e chamá-lo de "Maestro" algumas vezes (o que ele respondeu com gestos de "não é pra tanto!"), Manara é um grande e completo artista e uma pessoa muito simpática e inteligente! Acho que aqui no Brasil subestimamos seu talento artístico. Foi como muitos me ouviram comentar: Manara não é apenas um quadrinista, mas um pintor, desenhista, diretor de arte, cineasta, designer, ou seja; um artista! Não tem jeito mesmo, não é bajulação da minha parte, nem exagero e muito menos tietagem quando falo que a escola italiana de artistas ainda é o grande referencial. A itália é berço dos maiores talentos artísticos e para os Quadrinhos não poderia ser diferente...

Bom, de resto foi tudo ótimo! Sua palestra com a moderação de Chico e Paulo Caruso, seus autógrafos ao qual fui agraciado com o desenho de uma de suas mulheres dizendo: "Ciao, Rafael Menicucci!" no meu livro A Metamorfose de Lúcius da Ed.Meribérica, muitas fotos, vídeos e etc. Deixo aqui pra vocês o registro desse encontro e os parabéns a organização da Rio Comicon por conseguir trazer Milo Manara ao Brasil!



Rafael Menicucci & Milo Manara


.....................................................................................
Entrevista de Milo Manara para TV Globo:


Milo Manara

Biografia

Milo Manara, redução do nome original Maurilio Manara (nascido em 13 de Setembro de 1945) é um desenhista italiano mais conhecido pela vertente erótica da sua obra.
Manara nasceu em Luson. Depois de estudar arquitetura e pintura, estreou no mundo dos quadrinhos em 1969 com a obra Genius um conto noir sensual e sombrio na linha de HQ’s como Kriminal e Satanik. Trabalhou para publicações menores (Jolanda, revista de arte soft core, e a revista satírica Telerompo) até ter sido convidado pelo "Il Corriere dei Ragazzi” para trabalhar com escritor Mino Milani. A primeira história dos dois chamava-se "HP e Giuseppe Bergman", de 1983. A sigla "HP" é a abreviação do nome de um grande amigo deles, o artista e caricaturista italiano Hugo Pratt. Bergman havia sido criado por Manara cinco anos antes, para a revista francesa “À Suivre”.
Os quadrinhos de Manara geralmente giram em torno de mulheres elegantes, bonitas expostas a cenários e enredos eróticos improváveis e fantásticos. Em alguns de seus livros mais famosos estão os contos "Il Gioco" (1983, em quatro partes, de "Click!"), sobre um dispositivo que deixava as mulheres incontrolavelmente excitadas, e "Il Profumo dell'invisibile " (de 1986, em Butterscotch), sobre a invenção de uma tinta que deixava seu portador invisível.
Um dos seus trabalhos mais aclamados foi justamente em colaboração com Hugo Pratt, The Ape, para a Heavy Metal revista cult do início dos anos 1980, que reconta a história de Sun Wukong, o deus-macaco da mitologia chinesa - com humor, arte sensual e uma série de críticas políticas.
O estilo de Manara favorece linhas mas simples e limpas para mulheres – que são muito voluptuosas, diga-se de passagem - e reservam traços mais complexos para seus monstros ou outros elementos sobrenaturais. Como o seu compatriota Tinto Brass, tem uma evidente fixação por mulheres com bumbuns firmes e bonitos, quadris largos e semblante angelical.
Muitos de seus quadrinhos contêm temas como bondage, sadismo, e voyeurismo, coisas sobrenaturais, e a tensão sexual sob diversos aspectos da sociedade italiana. Os seus trabalhos são bem esclarecidos e explícitos, mas o humor geral é mais divertido que misogênico. O talento de Manara criou ao longo do tempo um clima de assombro e êxtase, e onde quer que esteja é celebrado e homenageado por fãs, e, devido a muitas de suas incursões aos quadrinhos mais “tradicionais”, também é extremamente reverenciado pela mídia popular ou especializada.
O seu trabalho atingiu o público no continente americano em grande parte por seus trabalhos expostos na revista Heavy Metal. Curiosamente, Manara é menos popular na Itália que na França, onde é considerado um dos quadrinistas mais importantes do mundo.
Em Julho de 2006, Manara desenhou um capacete para Valentino Rossi, feito especialmente para o Grande Prêmio da Itália, em Mugello. Valentino Rossi declarou que “Milo Manara desenhou histórias que se tornaram parte da mitologia da minha vida, seus quadrinhos e alguns dos meus heróis como Steve McQueen, Enzo Ferrari, Jim Morrison, e outros como o meu cão Guido, fora suas muitas e lindas mulheres! Realmente gosto do Milo, e é uma pessoa que irei admirar por muito tempo”.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Milo_Manara
http://www.milomanara.it/

Monotipia e croquis




Série, nº14
Esboços e monotipia
R.Menicucci

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Fotolog



O Censore Créatif está também no Fotolog!

Segue o link: http://www.fotolog.com.br/censorecreatif

Visitem!

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Site Petição Pública



Site Petição Pública

Navegando pela internet, encontrei o site Petição Pública! Muito bom, gostei muito! Trata-se de um site que fornece alojamento online gratuito para petições públicas. Logo, grupos sociais que possuem alguma insatisfação com determinado assunto e pretendem protestar em lista de assinaturas à serem encaminhadas para as autoridades competentes, agora, já podem se manifestar.

Eu participei na página portuguesa do grupo para a petição pela abolição das touradas e de todos os espetáculos com touros.

Pessoal, isso é sério.

Touradas não são esporte e nem arte!
Todos nós podemos continuar achando lindo a cultura espanhola que envolve o assunto mas não podemos negar a crueldade e a brutalidade que acontece com os animais durante esses eventos...
Não sou vegetariano e conheço a forma como é sacrificado animais de grande porte (sim, é horrível!), porém, nada disso justifica tortura na hora de abater um animal, muito menos com fins de entretenimento.

Então, quem não concorda com isso, a hora de se pronunciar é agora!
O parlamento espanhol e o portugues estão discutindo o assunto com intensidade e na Catalunha as touradas já foram proibidas!
A verdade é que só vota a favor disso o grupo de empresariados que lucram com a renda do turismo.

Eu já assinei!

Fonte: http://www.peticaopublica.com
Específico sobre o assunto:http://www.peticaopublica.com/PeticaoVer.aspx?pi=010BASTA

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

! ! !



Série, nº 13
Lápis Pastel Pitt
R.Menicucci

"War in Rio"









War in Rio (O jogo)


Pois é pessoal, como uma vez comentado aqui no blog e também como amante de wargames que sou, não poderia, nesse momento oportuno, deixar de comentar essa grande idéia que gerou muita polêmica: O jogo "War in Rio" (versão do clássico WAR da Grow agora adaptado ao cenário de guerra urbana do Rio). O autor dela é Fabio Lopez, como eu, também carioca e designer, mas, formado pela ESDI (Escola Superior de Desenho Industrial). Pelas palavras do próprio, o jogo foi um projeto de design e uma brincadeira com o objetivo de gerar uma reflexão:

"O objetivo do projeto é gerar uma discussão através de uma proposta cínica de diversão. Pegando carona no fenômeno de massa ‘A Tropa da Elite’, a idéia é perguntar ao cidadão carioca se ele acha que esse tipo de entretenimento combina com pipoca ou com uma reflexão profunda sobre a realidade de sua cidade."

Confesso, que virei fã do projeto e também fiquei muito curioso de saber como seria jogar o War in Rio dele. Cheguei até a lhe enviar uma mensagem, sem resposta, e de acordo com os jornais na época de divulgação do jogo em 2007; ele alegou que esse projeto era sem fins comerciais.
Logo, acho que ficou a vontade, por parte dos bloggers e dos usuários da internet, a frustração de não poderem experimentar o jogo. Pensando a respeito, talvez, existindo um único protótipo, ele poderia criar um modelo virtual mais simples e postá-lo para downloads na web ou talvez até mesmo adaptar as regras do jogo para modelos mais interessantes como o Risk, desenvolver uma versão só com cartas, etc.

Então, tomo a liberdade aqui no blogger, em não apenas mostrar as imagens do jogo, como também ajudar a divulgá-las e parabenizá-lo pelo projeto.

Afinal, a ocasião novamente se apresenta aos cariocas...


.....................................................................................

"War in Rio
O projeto

O objetivo do projeto é gerar uma discussão através de uma proposta cínica de diversão.
Pegando carona no fenômeno de massa ‘A Tropa da Elite’, a idéia é perguntar ao cidadão carioca se ele acha que esse tipo de entretenimento combina com pipoca ou com uma reflexão profunda sobre a realidade de sua cidade.
Por outro lado é também um jogo bem planejado e realizado: uma paródia irresistível para os amantes do clássico e politicamente incorreto passatempo de guerra. No lugar de invadir Moscou, conquistar a África ou aniquilar os exércitos brancos, que tal invadir a Cidade de Deus, conquistar a Baixada ou eliminar o Comando Vermelho?
War in Rio é reflexão e entretenimento canalha.

o início
A idéia de montar um tabuleiro de War com o mapa da própria cidade já deve ter passado pela cabeça de todo apaixonado pelo jogo. Morando no Rio de Janeiro, a realidade insiste em te convencer de que essa idéia não só é viável, como provavelmente já foi executada pelos poderes oficiais e paralelos que administram o espaço urbano.
Apesar de ter sido idealizado há cerca de 3 anos, o projeto encontrou na tecnologia de mapeamento via satélite uma ferramenta extremamente útil para a criação do tabuleiro.
Além disso, o momento tornou-se oportuno por aproveitar o sucesso do filme ‘Homens de Preto’ estrelado por Will Smith no papel de capitão Nascimento. No filme o soldado pai de família é encarregado de combater os ‘aliens’ da Puc utilizando métodos pouco convencionais."


Fonte: Retirado do blog http://jogowarinrio.blogspot.com/